2011-08-30

Curar a sinusite. Pepinos de S. Gregório

Pepinos de S. Gregório

Ecballium elaterium (L.)



Comecemos pelo princípio:

Há cerca de 20 anos, ou mais, encontrei uma mulher de aspecto modesto, a vender um fruto verde, pequeno, meio oval, em frente á igreja de Benfica (em Lisboa).

Perguntei o que era e para que servia:

- “São “pepino de S. Gregório” e servem para curar a sinusite”.

Sinusite é coisa que eu tenho desde jovem, por isso interessei-me. O preço era irrisório, valia a pena.

Perguntei como se usava

- “Põe-se em álcool e depois “pinga-se” no nariz”.

Comprei os “pepinos”, coloquei em álcool e usei no nariz algumas vezes, esporadicamente, sem convicção (devida à escassez e imprecisão da informação); por isso nunca curei a sinusite (nem a rinite) que cá continuam...

Depois deparei-me com os pepinos de S.Gregório em várias ocasiões, quer no meio da cidade, num qualquer passeio com falhas de pavimento, quer em terrenos não submergidos pela “tirania do betão”... num qualquer recanto “sobrante”.

Entretanto ouvi a história dos frutos, quando maduros, rebentarem ao mais pequeno toque, espirrando o seu líquido caústico (e as sementes, certamente) para cima de qualquer distraído, líquido esse que provoca irritação e, em casos extremos, queimadura...

Quando me (re) contaram essa “história” veio-me, dum qualquer recanto da minha memória longínqua, a ideia de que já os conhecia, desde pequena, de ter ouvido aquela história antes...

A planta e algumas das suas características



O pepino de s. Gregório é uma cucurbitáceas, ou seja, da mesma família do Melão de S. Caetano (Momordica charantia L.) e da abóbora (Cucurbita maxima Duch)... por exemplo.

Entre nós também responde pelos nomes populares de “Pepino-do-diabo” e “Pepino-bravo”.



É uma planta erbácea, com as folhas e os frutos verdes. Os frutos, quando muito maduros (prestes a explodirem) ganham cor amarelada.


A Flor dos "Pepinos de S.Gregório" -  Ecballium elaterium (L.)


Dizem que é trepadeira (como o melão-de-são-caetano), mas eu nunca a vi trepar... bem pelo contrário, ou, se vi, já não me lembro... mas já vi uma dessas plantas com o tamanho dum pequeno arbusto. Por aqui cresce quase rasteira, como tantas outras, devido ao facto de serem TODAS cortadas, frequentemente, pelos serviços da Câmara (Perfeitura),



Uma pesquisa na NET, pelo nome científico, mostra que existem, em Inglês, muitos estudos farmacológicos e bioquímicos relativamenmte a esta planta e seus constituintes, pelo que a sua utilidade não se resumirá, certamente, á cura da sinusite... já lá vamos a essa parte.



Pormenor da folha dos Pepinos de S. Gregório.


Diz-se deles que:

Usos na Medicina Popular


O fruto é referido como usado para as dores (por exemplo dores reumáticas). Coloca-se o fruto (“pepino”) ainda imaturo, ou seja antes de libertar as sementes, dentro de um frasco com álcool onde fica guardado a macerar. Quando a pessoa tem dores usa então esse álcool para fazer fricções na zona das dores.

Referido que este preparado dura muito anos sem se estragar.



Há quem, em vez de álcool, para a maceração, use aguardente de medronho ou de figo.

2 - Esse líquido que os pepinos espirram, quando aplicado, "APENAS" uma gota, em cada narina, é remédio santo para tratar a sinusite.

Ao usá-lo, tome os seguintes cuidados:

- Esprema cuidadosamente os frutos para o frasco conta gotas e prepare um copo com água. Em seguida coloque algumas gotas na mucosa das narinas.

Se algum liquido escapar para a garganta, deve pegar imediatamente o copo de água e gargarejar para evitar irritação.

Prepare também de imediato o seu lenço para limpar o nariz, pois este irá desentupir muito rapidamente.


Mas, cuidado ... é mesmo APENAS uma gota. E convem fazer o tratamento durante o fim de semana, corre o risco de ficar um dia ou dois com "incontinencia nasal", mas depois... enfim o alívio!!!!!


Também há quem ache que:

- Tem usos medicinais, mas é de evitar pois pode ser letal. A sua dosagem varia muito - ela é mais tóxica no Verão. Os seus frutos, semelhantes a um pepino com pelos, ejectam um líquido caústico e irritante.

- "Pepino de S. Gregório" ou Ecballium elatrium (nome científico). Tem uso medicinal, mas trata-se de uma planta venenosa e uma sobredosagem pode provocar a morte. Pode ser usada para o reumatismo, coração, e tem um fortíssimo poder purgativo. Também é usada para a sinusite e possui capacidades abortivas.




Testemunhos:

- Esta planta milagrosa foi-me recomendada há cerca de 15 anos, e desde essa altura não mais tive problemas com a sinusite. Passei momentos terriveis, mas felizmente tudo já não passa de uma recordação. Recomendo a sua utilização sempre que se fala do assunto.

- Este pepino foi uma boa coisa que me aconteceu depois de ter sido operado à sinusite e passado um mês estava de novo a cortisona, antibióticos outro para as dores era um completo desespero até que alguém me recomendou e me disse onde apanhar os pepinos na Nazaré, foi um alivio nunca mais tive problemas graves com a sinusite. A planta tenho-a em vasos e estou a colocar os pepinos em alcool para fazer esfregaços para as dores.



O MEU TESTEMUNHO:

Depois destas pesquisas também eu teria de “experimenrtar”, viso que a rinite não me dá “descanso”.

Fui em busca do fruto (que já tinha fotografado), mas não havia: os 2 daquele pé já tinham “explodido” e caído... e o outro pé também não tinha frutos... havia apenas uma flor (uma promessa de fruto para mais tarde) e um fruto em meio crescimento. Foi esse mesmo que apanhei.

Espremi, segurando-o com um guardanapo, convencida de que o líquido sairia pelo lado da flor. Afinal saiu pelo lado do caule (do pé) e ficou no guardanapo...

Virei o pepino e continuei a espremer. Mas como me pareceu que era pequena a quantidade de líquido que restava, recolhi-o directamente com o conta gotas. Ainda juntei um “níquinho” de água para obter as 2 gotas necessárias...

Pinguei uma em cada narina e o efeito foi imediato: sintoma de constipação e rinite... que se estendiam até  à garganta. Esse efeito durou pouco mais de 24 horas... e depois o alívio (da rinite) porque sinusite, pelos vistos, não tenho: não houve descarga.

Portanto, recomendo!

Pena que não haja estudos que permitam saber do efeito noutros tipos de afecções... Se alguém souber, informe, POR FAVOR.




Outras usos, potenciais, desta planta:



Entre nós, aqui em Portugal (e julgo que também no Brasil), é uma planta totalmente desprezada, uma “erva daninha”, a evitar, até porque é tóxica e expele um líquido que provoca “urticária”. Exceptuam-se destes “conceitos”, algumas pessoas que a conhecem e a usam, devido às suas virtudes, inexcedíveis, como planta medicinal. Mas não é assim em toda a parte, felizmente, como se pode concluir dos excertos que se seguem, retirados do relatório duma pesquisa, publicado na NET, pela Universidade de Malta, no que parece ser uma compilação de estudos e conclusões relativos á planta, que pode encontrar AQUI:



Transcrição (traduzida):

Potencialidades da resistência de “Ecballium elaterium (L.) A. Rich” a Pragas e outras doenças



Os Pepinos de s. Gregório - Ecballium elaterium (L.) A. Rich., são (des)considerados como uma planta menor, sem interesse agrícola, comercial, alimentar ou medicinal, da família das Cucurbitaceae. No entanto, as suas virtudes medicinais e a sua resistência a pragas e doenças, fizeram desta planta um candidato apropriado para melhorar a qualidade das culturas doutras espécies de cucurbitáceas.

Por esse motivo, foram realizados estudos (ensaios) de cultivo, destinados a avaliar o crescimento da planta e a variação do conteúdo em cucurbitacinas no tecido vegetal com o crescimento e a mudança das estações do Ano ...

A partir deste estudo, pode-se concluir que a produção de elaterium e particularmente cucurbitacinas atinge um pico durante o crescimento activo da planta nos meses de verão, que coincide com o crescimento activo e frutificação de várias cucurbitáceas.

Conclui-se que a Ecballium elaterium (Pepinos de S. Gregório) pode ser cultivada juntamente com as cucurbitáceas comestíveis, a fim de protegê-las de diversas doenças ou pragas.

Os solos para o cultivo de Ecballium elaterium (L.) A. Rich
Ecballium elaterium (L.) A. Rich. (Cucurbitaceae), is a wild Mediterranean medicinal plant which has been described to thrive in drastic environmental conditions. (Cucurbitaceae), é uma planta medicinal, selvagem, nativa da orla do mar Mediterrâneo, descrita como capaz de prosperar em condições ambientais drásticas. In one study, it has been described to be frost-tolerant as compared to other wild species of the Cucurbitaceae family (4). Um estudo sobre ela descreve-a como sendo mais tolerante e resistente a geada, em comparação com outras espécies silvestres da família Cucurbitaceae (4).
O presente estudo foi conduzido com plantas de “E. elaterium” selvagens colhidas em Malta (Central do Mar Mediterrâneo), e usaram-se vários tipos de solo, a fim de determinar as condições do solo ideal para o crescimento desta espécie resistente a doenças silvestres ...

A partir dos resultados obtidos, concluiu-se que E. elaterium cresce em solos calcário (53,86-83,31%) livres de salinidade ou ligeiramente salinos (0,497-2,807 ppm), com um pH elevado (8,08-8,65) e teor de matéria orgânica variável (0,54-3,83%). Este estudo consolida a capacidade de adaptação de E. elaterium aos solos alcalinos e calcário.

Nota: portanto, para quem tem a planta em vaso, fica a recomendação: solos calcários

Os potenciais usos farmacológicos do Ecballium elaterium (L.) A. Rich

Cucurbitacina E (CuE), como outras cucurbitacinas, é um potencial agente anti-neoplásico (anti cancer). O objectivo do presente estudo foi investigar os efeitos in vitro de CuE em fitohemaglutinina (PHA)-activado e em linfócitos não estimulados. CuE não produziu efeitos citotóxicos significativos nos dois modelos. Pelo contrário, teve um efeito estimulante, e demonstrou ter capacidade para induzir e manter as taxas de alta proliferação de linfócitos.  O efeito estimulante do CuE foi dependente da concentração com uma estimulação mediana à concentração (SC 50) de 1,166 µM e atingindo efeito máximo na concentração de 10-20 µM. mM. O efeito estimulante do CuE foi cerca de 25% menor do que o de PHA, mas uma combinação de Cue e PHA h revela um efeito aditivo produzindo uma resposta superior à do conjunto das duas substâncias utilizadas separadamente.  Eletroforese em gel de agarose para a fragmentação de DNA não conseguiu demonstrar qualquer actividade significativa de apoptose nas células após 48  h exposição ao CuE.
Fim de transcrição/tradução.

Assim, aquela humilde e desprezada plantinha, "perigosa", temida... e condenada ao extermínio, quase ganha  "estatuto" de "estrela"...



«»«»«»«»«»

APELO!
Participação Cívica e Direitos Fundamentais:
-- Petição Para Valoração da Abstenção
--- Assine a petição AQUI, ou AQUI ou AQUI, ou AQUI, ou AQUI
(Nota: Alguns dos sites "linkados" começaram por boicotar a petição impedindo as pessoas de assinar e, mais recentemente, suprimiram a página com as assinaturas. Apenas "Gopetition" se mantém acessível sempre)
«»«»
-- Denúncia de Agressão Policial
--- Com actualizações AQUI e AQUI
«»«»
-- Petição contra os Crimes no Canil Municipal de Lisboa
»»»»»»

22 comentários:

  1. olá,
    Eu já encontrei os pepinos de são Gregório, mas não deitaram sumo, só tinham sementes.
    como tenho renite alergica gostava de experimentar

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vc ja conseguiu resolver o seu problema de Sinusite? Tem solução.

      Eliminar
    2. realmente remédios caseiros funcionam mesmo.

      Eliminar
    3. AMANDIO COSTA MONTEIRO8/8/14 12:54

      Bom dia amigo. Acabo de chegar de ver umas plantas e parecem-me diferentes, pois uma tem uma flor roxa em cima do fruto. Acontece k oa furei com uma seringa e ñ tirei nenhum sumo. O k devo fazer?
      Será k esses frutos sem sumo podem ir para o álcool a fim de macerar?

      Eliminar
    4. Eu nunca encontrei pepinos de S. Gregório com flores roxas; só brancas (e lindas, por sinal).
      Flor em cima do fruto, só se o fruto for muito pequeno porque o fruto desenvolvido vira para baixo. A flor fica lá, agarrada ao fruto, seca. Será isso?
      Não creio que furar com uma seringa seja a melhor opção. Enrole um pedaço de guardanapo no fruto para proteger as mãos, segure o fruto dentro dum recipiente (chávena, caneca, frasco) e aperte. Saem as sementes disparadas e saí algum sumo; 2 ou 3 gotas. Depois é só usar a seringa para colher esse sumo...
      Não sei se se consegue colher sumo de limão, por exemplo, de dentro do fruto, com um seringa; mas se espremer obtém sumo com certeza. Com os pepinos de S. Gregório é semelhante.
      Todavia, se esses frutos são realmente pepinos de S. Gregório, também pode colocar em álcool (fazer tintura) e usar o álcool... É o procedimento usual para dores reumáticas e articulares.

      Eliminar
    5. Atenção: quando vai espremer o fruto deve deixar as duas extremidades livres; enrola o pedaço de guardanapo à volta mas deixa o pé e a parte de cima livres para permitir que o sumo saia e não fique no guardanapo.

      Eliminar
  2. Olá!
    Quero te convidar p conhecer e seguir o meu novo blog de variedades: http://voudeblog.blogspot.com/
    O espaço está aberto p divulgações gratuitas. Caso te interesse, é so me avisar.
    Bjão

    ResponderEliminar
  3. Enbora espe post já tenha algum tempo queria partilhar a minha experiencia. Quando me indicaram o pepino de s. gregório avisaram-me para diluir um pouco... pois sim, arranquei com o carro e passei o dito por baixo do mariz e uma snifadela rápida. Decerto que não foi uma gota mas em segundos espirrava e em dois ou três já não parava de assoar. Nessa noite até tive de por uma toalha em cima da almofada. O que é certo é que em dois dias foi o alivio... Ana

    ResponderEliminar
  4. Boa noite Biranta. Pensei ter encontrado a milagrosa planta mas penso k me enganei pois ñ vejo fruto nenhum, pelo menos até hoje dia 29/04/2012.
    Obrg

    Amândio Monteiro

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amândio!
      Peço desculpa de só agora responder.
      É natural que não tenha visto frutos.
      Os "pepinos de S. Gregório" só dão frutos no verão; no final de Julho e em Agosto, Setembro... Abril é muito cedo para ver frutos.
      Repare que o texto é publicado no final de Agosto

      Eliminar
    2. Se alguém tiver sementes do pepino de sºGregório agradecia que me enviassem para a minha morada á cobrança se alguém a tiver eu mando a morada

      Eliminar
    3. Anónimo
      Deixe aqui o seu email que eu não publico o comentário. Talvez eu arranje as sementes (acho que guardei algumas), mas se alguém tiver fica a recomendação de que deixe o email que eu ponho-vos em contacto...

      Eliminar
  5. acho que essa planta no brazil se chama buchinha paulista

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não! Nalgumas zonas do Brasil chama-se "pepinos bravos" mesmo. Mas não posso garantir que se chame assim em todo o Brasil...
      Há uma planta, no Brasil (cá não há) que se chama "buchinha do Norte", buchinha paulista" ou "cabacinha", que se usa para curar a sinusite, mas não o sumo (suco). Aliás acho que não tem suco...
      O nome científico da cabacinha, ou buchinha paulista é "luffa operculata", e esta chama-se "Ecballium elaterium". São plantas diferentes pertencentes a famílias diferentes.

      Eliminar
  6. tente colocar arruda em um copo com agua durante 12 horas e pingue uma gota nas narinas,somente uma gota em cada narina. Repita o processo durante 7 dias.todo dia tem que colher uma rama de arruda e deixar curtir no copo com agua durante 12 horas. a cada processo jogar o restante fora.ALIVIA BASTANTE

    ResponderEliminar
  7. dizem que existe um tratamento com arruda.talvez funcione também

    ResponderEliminar
  8. existe tratamentos com arruda tambem

    ResponderEliminar
  9. Por favor gostaria que me dissessem aonde posso encontrar essa planta uma vez que resido no Porto,e sofre á bastante tempo com crises horrendas de sinusite

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Agora é boa época para encontrar a planta. Mas apresse-se porque ela vai desaparecer em breve devido à época.
      A planta encontra-se por aí. Pode aparecer em qualquer pedaço de terreno não cuidado (nestes é exterminada). É fácil de identificar. Não conheço outra parecida, por isso guie-se pelas fotos. Na verdade, este ano vi muito poucas plantas dessas mas, estando atento e procurando acredito que irá encontrar alguma. Basta um fruto e dele um pingo de sumo em cada narina... Depois prepare-se para sofrer... O alívio completo e o bem estar pode demorar uns dias.

      Eliminar
  10. Boa tarde. Tenho bastantes pepinos e sementes, mas gostaria para k servem as sementes.
    Tem piada que acabo de tentar extrair o semo de 4 pepinos que tinha guardados e só me sairam as sementes acastanhadas, gostava k alguém me explicasse o porquê dos pepinos ñ terem sumo.
    obrg
    AM
    939564125

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Os pepinos, em circunstâncias normais, deitam sumo naturalmente quando começam a ganhar a cor amarelada (de maduros), pouco antes de explodirem. Esses pepinos têm de ser manuseados com cuidado (com protecção) porque pode acontecer rebentarem e espalharem o sumo (e as sementes), ao mais pequeno toque, para cima de quem estiver por perto. O sumo é cáustico. Os pepinos, antes de amadurecerem não têm sumo propriamente, mas conseguem-se umas 4 ou 5 gotas espremendo o fruto. Esses, se ainda estavam verdes, pode obter sumo deles; se não espremendo directamente com os dedos (protegidos), ao menos separando um pouco da polpa e amassando com ajuda dum qualquer utensílio (de madeira); ou então junte 3 ou 4 pingos de água ao pepino, espere alguns minutos e depois esprema e use esse "sumo". Faz efeito na mesma.
      As sementes servem para semear.
      Quando se colocam os pepinos em álcool para aplicar em casos de dores reumáticas (mas que também serve para a sinusite), coloca-se o pepino inteiro, com sementes e tudo. Portanto, se for colocar em álcool ponha também as sementes.
      Se decidir cultivar use terra com boa percentagem de argila (barro).

      Eliminar
  11. Aqui no Brasil não temos esse fruto, mas uso uma tintura de buchinha do norte, pingo poucas gotas nas narinas e o processo é o já descrito.
    Alívio absurdo...
    Acho que vale o registo! :-)

    ResponderEliminar

ATENÇÃO!
Um recado importante para quem procura Plantas Abortivas.
NÃO ESCREVAM COMENTÁRIOS com PERGUNTAS nos espaços de resposta a outros comentários. PORQUE EU NÃO CONSIGO ENCONTRAR ESSES COMENTÁRIOS NEM RESPONDER, MESMO QUE QUEIRA.
E ainda tenham em conta que:
Há vários textos neste blogue sobre o assunto. Os 2 textos mais visitados e que aparecem mais frequentemente nas listas de buscas, "Plantas Abortivas - Comentários" e "Plantas Abortivas (II)" têm muitos comentários e, por isso, é impossível responder aos comentários que chegam porque demora uma eternidade para chegar até eles.
NÃO DEIXEM PERGUNTAS NESSES TEXTOS. NÃO CONSIGO RESPONDER NEM QUE QUEIRA.
Há textos mais recentes, com menos comentários que, por enquanto, ainda permitem responder...
Em todo o caso Leiam com atenção o que está escrito porque já respondi a tudo e porque as respostas podem demorar muito. Antes de deixar uma pergunta faça uma pesquisa no blogue com as frases que vai escrever... Talvez consiga ir directo para as respostas.